• +55 (31) 2511-9636 / 3146-9003
  • contato@piscinar.com.br
  • Seg - Sex: 08:00 - 18:00
Imagem retirada de https://arquiteturaeconstrucao.abril.com.br/sua-obra/especialistas-explicam-como-planejar-a-construcao-da-piscina/
Imagem retirada de https://arquiteturaeconstrucao.abril.com.br/sua-obra/especialistas-explicam-como-planejar-a-construcao-da-piscina/

Curtir os dias de verão ao ar livre é promessa de boas lembranças. Melhor ainda se houver uma piscina à disposição. “Ela valoriza o imóvel, proporciona relaxamento, conforto visual e ainda incrementa o jardim”, diz o engenheiro Ricardo Yazigi, do escritório Yazigi Engenharia. O efeito é reforçado por incrementos arquitetônicos como borda infinita, desenhos orgânicos e prainha para colocar espreguiçadeiras, desejos que seguem em alta nos projetos. Por outro lado, há tempos as raias efetivamente calculadas têm presença garantida em casas e condomínios, reflexo da mudança de comportamento da sociedade. “Em vez de simples recreação, ou status, as pessoas querem se exercitar na piscina”, completa.

MÃOS À OBRA
Os planos começam pela escolha do método construtivo. Fazer o tanque de concreto ou alvenaria, ou optar pela agilizada de do berço protegido por vinil ou casco de fibra de vidro? A resposta vem com outra pergunta: qual é a sua prioridade? Compare e analise o melhor para o seu caso.


- Durabilidade. “Hoje, os clientes querem o mínimo de manutenção. Piscinas de concreto são as melhores nesse sentido: resistem ao menos 20 anos e permitem formatos variados”, afirma Yazigi. As de alvenaria precisam de execução primorosa ou podem sofrer com a movimentação do solo, o que causa vazamentos.
- Orçamento enxuto. Vinil e fibra de vidro pesam menos no bolso a curto prazo. “O primeiro tem que ser substituído a cada três ou cinco anos. A fibra de vidro também pede manutenção frequente e tem desenhos limitados”, diz.

- 4 x 8 m é o tamanho médio para piscinas de lazer
- 4 x 12,5 m é o comprimento ideal de uma raia destinada à exercícios

PARA REVESTIR E DECORAR
Depois de perderem espaço para os azulejos, as pastilhas voltaram a embelezar o interior das piscinas. A variedade de modelos, cores e possibilidade de desenhos explica o revival das pequenas notáveis. Afinal, o azulejo não acompanha formas curvas, modalidade em alta no momento. Para quem gosta do reservatório com estética mais natural – tendência forte há alguns anos –, dois lançamentos prometem agradar:

- Tons de verde O padrão Fiji (12 x 24 cm), da linha Alta Definição, remete à tão apreciada pedra hijau, com seu tom jade. Exibindo textura semelhante ao original, vai bem no interior da piscina. Da Cerâmica Atlas, o m² do modelo custa R$ 99,79.
- Cena marinha: além do porcelanato para o trecho interno (nos tamanhos 20 x 20 cm e 10 x 20 cm), a Coleção Atlantis, da Portinari, inova ao oferecer a miniborda, solução para a meia esquadria (ou chanfro). Cada peça de 1,3 x 20 cm custa R$ 9,90.

NÃO CAIA NESSA
Entregar o projeto da piscina à mão de obra não especializada é correr o risco de ter dor de cabeça no futuro. Pior: o remédio costuma custar caro. “A piscina é uma estrutura complexa, que exige planejamento quanto à hidráulica, impermeabilização…”, alerta Yazigi. Ou seja: procure um arquiteto ou engenheiro ao planejar a sua.

SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR
Acidentes provocados pela sucção de ralos de piscinas ainda existem, infelizmente. A boa notícia é que medidas simples protegem os banhistas. “Deve haver ao menos duas saídas de água no tanque, que dividem a força de aspiração”, diz Yazigi. Elas têm de estar interligadas por tubulações e serem protegidas com ralos antiturbilhão. Confira alguns exemplares disponíveis no mercado:

- De aço inox: Ralo (15 x 15 cm) antiturbilhão e antiaprisionamento com caixa de fibra. Da Epex, o dispositivo vale
R$ 780.
- Visual moderno: para modelos de concreto, o dreno de fundo (7 x 14 cm) antiturbilhão possui sucção pelas laterais. Da Nautilus, tem preço sugerido de R$ 108.
- Base de latão: dreno de fundo (3,8 cm) antiturbilhão com tampa do tipo FSB para piscina de alvenaria. Da Sodramar, custa R$ 330.

COBERTURA
Cercar com grade de proteção a área da piscina e controlar a entrada no local por meio de uma porteira evita o acesso e quedas imprevistas de crianças e animais de estimação no tanque d’água. “Nos projetos mais modernos, o deck corre sobre roletes, encerrando a piscina”, completa Yazigi. Se o objetivo é manter a temperatura da água agradável, o ideal é a capa térmica, leve e com bolhas de ar.

Fonte: Arquitetura e Decoração

  • Telefone:
    +55 (31) 2511-9636 / 3146-9003

  • R. Dom João Antônio dos Santos, 230, Coração Eucarístico, Belo Horizonte, MG

Sobre

A Piscinar é uma empresa especializada no ramo de piscinas, saunas e acessórios para lazer. Especializada na construção de piscinas de vinil e fibra,está no mercado desde 1994 e já construiu centenas de piscinas em toda MG.

Whatsapp